Você está aqui:  Início  /   Cultura  /   Festival de Poesia que se “constrói com a comunidade” há 19 anos regressa em formato digital

Festival de Poesia que se “constrói com a comunidade” há 19 anos regressa em formato digital

Paulo Condessa, Comissário do Festival Poesia à Mesa em entrevista na Sintonia Feirense

S. João da Madeira serve poesia há 19 anos através do evento Poesia à Mesa, um dos festivais literários mais antigos do país. “Não sei quantos festivais é que há que têm esta longevidade, é um recorde brutal”, reconhece o comissário do evento, Paulo Condessa, que entende que “o trabalho feito pelas comunidades é sempre um trabalho a longo prazo”. O festival regressa este ano, entre 15 e 21 de março, para mais uma edição. Mas em vez de espalhar poesia pelos locais mais improváveis da cidade, como é habitual, os poemas encontram caminho até às pessoas através da via digital.

Mais um ano, mais um Festival de Poesia à Mesa, que habitualmente leva as palavras de poetas aos locais mais improváveis de S. João da Madeira durante o mês de março. Contudo, este ano as pessoas não vão ser surpreendidas por poemas nas ruas, nos restaurantes, nas fábricas ou até nos autocarros. Em vez disso, a poesia encontra caminho direto para a casa das pessoas através do digital. A 19ª edição do festival, organizada pela Câmara Municipal de S. João da Madeira, realiza-se em formato exclusivamente online devido à pandemia e volta a homenagear seis poetas: Andreia C. Faria, Fernando Assis Pacheco, Herberto Hélder, Mafalda Veiga, Mário-Henrique Leiria e Soror Violante do Céu. Para saber mais sobre a programação do festival visite a página oficial do evento.

Em entrevista na Sintonia Feirense, Paulo Condessa fala do trabalho que tem desenvolvido como comissário do festival desde 2016 mas não só. Entramos no universo do poeta e do escritor, mas também do leitor e promotor da poesia em Portugal. Paulo Condessa retira “seriedade” da poesia para lhe conferir “a liberdade” que ela inspira. Desconstrói o texto, o preconceito e joga com as palavras como poucos em Portugal. Quer que a poesia chegue a cada vez mais pessoas e, por isso, desdobra-se em múltiplas ações. Conduz coros de leitura, faz espetáculos a solo e em grupo, sessões de team building e formações em empresas e instituições, concebe ou apoia festivais de poesia lida e prepara equipas leitoras para o efeito.

Uma conversa sobre poesia, sobre literatura e sobre a paixão pelas palavras que pode ouvir na íntegra aqui.