Você está aqui:  Início  /   Cultura  /   Museus municipais encerram nos próximos dois fins de semana

Museus municipais encerram nos próximos dois fins de semana

O Museu Convento dos Lóios, em Santa Maria da Feira, e o Museu do Papel Terras de Santa Maria, em Paços de Brandão, encerram as suas portas ao fim-de-semana e abrem, em contrapartida, à segunda-feira, durante o mesmo horário semanal praticado. A decisão tem por base as novas medidas de contenção implementadas pelo Governo no combate à pandemia Covid-19.

De forma a que a população possa cumprir o seu dever cívico de recolhimento nos próximos dois fins-de-semana (14|15 e 21|22 de novembro), o Museu Convento dos Lóios e o Museu do Papel Terras de Santa Maria encerram os seus espaços nesses dias e abrem, excecionalmente, à segunda-feira, no mesmo horário semanal habitualmente praticado: 10h00-13h00 e 14h00-17h00. O recolher obrigatório foi uma das medidas instituídas pelo Governo, presentes no Decreto-Lei N.º 8/2020, para travar o contágio do vírus Covid-19.

Durante a semana, os museus municipais, espaços que elevam a história e património feirenses, encontram-se abertos e disponíveis para receber os visitantes que queiram embarcar num percurso pelas memórias territoriais do seu concelho de forma calma e segura. O Museu Convento dos Lóios, situado na cidade de Santa Maria da Feira, integra no seu acervo coleções de Arqueologia, História local e Etnografia representativas da ocupação do território, da construção da sua história, das artes, dos ofícios, das tradições e costumes, civis e religiosos, que marcaram a identidade e cultura da região. Já o Museu do Papel Terras de Santa Maria, instalado em duas antigas fábricas de papel do início do século XIX em Paços de Brandão, engloba a história do fabrico do papel, desde a sua fase manufatureira de produção “folha a folha”, até à produção em contínuo e à mais recente história da indústria do papel.

O encerramento temporário dos museus municipais ao fim-de-semana manter-se-á durante o período de restrições do estado de emergência, garantindo-se a oferta cultural nos restantes dias da semana segundo as normas de higiene e segurança da Direção-geral da Saúde.