Você está aqui:  Início  /   Notícias  /   ‘Os Verdes’ contestam aumento do preço da água em Santa Maria da Feira

‘Os Verdes’ contestam aumento do preço da água em Santa Maria da Feira

Partido considera “incompreensível” o aumento, face à “instabilidade” financeira vivida pelas famílias, causada pela pandemia, e perante o aumento dos consumos de energia, comunicações e água, fruto do confinamento obrigatório. Foto: DR

O Grupo Parlamentar Os Verdes questionou o Governo a propósito do aumento do custo da água em municípios onde esta foi privatizada, como é o caso de Santa Maria da Feira. O Partido Ecologista os Verdes (PEV) considera “incompreensível” o aumento, face à “instabilidade” financeira vivida pelas famílias, causada pela pandemia, e perante o aumento dos consumos de energia, comunicações e água, fruto do confinamento obrigatório.

Em comunicado, o partido explica que entregou na Assembleia da República uma pergunta, em que questiona o Governo, através do Ministério do Ambiente e da Ação Climática, “sobre o facto de  alguns municípios, como é o caso de Santa Maria da Feira, terem subido o preço da fatura da água, a pretexto de um contrato com a sua concessionária e seus aditamentos que os vincula a tal”. Os Verdes acrescentam que este aumento acontece ” num ano onde se aponta para uma inflação a rondar os 0 por cento, ou até negativa e onde o índice de variação ao consumidor de água é negativo e, por último, o preço desse bem essencial, que é a água em alta, vai baixar 2,24 por cento.

Os Verdes lembram que este é um “período conturbado da vida dos cidadãos, onde paira a instabilidade nos agregados familiares”, sublinhando que “todos os apoios passam a ser essenciais para colmatar a perda de rendimentos de muitas famílias”, “permitindo desde logo suportar as despesas mensais como a alimentação, a renda da casa, a energia, a água e as telecomunicações”.

Os Verdes apontam ainda que o “confinamento obrigatório da população nas suas habitações fez com que aumentasse o consumo de energia, de comunicações e de água, aumentando desta forma as respetivas faturas”.

“Durante o primeiro confinamento, de março/abril, as famílias aumentaram, em média, em 10% o seu consumo energético. Igual acréscimo percentual foi verificado no início janeiro em consequência do frio extremo e de um segundo confinamento, tendo sido criado um apoio extraordinário ao preço da energia elétrica que será aplicado diretamente na fatura dos consumidores domésticos pelos comercializadores”, refere o comunicado, acrescentando: “A inflação negativa/nula travou o aumento de preços em 2021, entre outros, das rendas, dos transportes públicos, das portagens das autoestradas, pontes, acabando por beneficiar muitos portugueses, em particular os que têm menos recursos”.

Para Os Verdes, é “incompreensível que alguns municípios, como é o caso de Santa Maria da Feira, tenham subido o preço da fatura da mesma, a pretexto de um contrato com a sua concessionária e seus aditamentos que os vincula a tal”.

O partido sinaliza que “o aumento do preço da água, sobretudo em municípios onde as águas se encontram privatizadas através de contratos de concessão, onde o preço da água era já dos mais caros do país”.

Assim, Os Verdes questionam se o Governo não considera “que o preço da água deveria ter sido mantido inalterado em 2021”, interrogando ainda sobre de que “meios dispõe” “para travar estes aumentos incompreensíveis”.

Os Verdes questionaram, ainda, se está prevista alguma medida para apoiar o aumento dos custos com o consumo de água por parte das famílias no contexto de confinamento.