Você está aqui:  Início  /   Cultura  /   Turma de Animação Sociocultural da Escola Coelho e Castro abraça de corpo e alma projetos “fora da caixa”

Turma de Animação Sociocultural da Escola Coelho e Castro abraça de corpo e alma projetos “fora da caixa”

Filipe Dias (professor), Mariana Cruz (aluna), Rui Sousa (marionetista) , Beatriz Gomes (aluna), Maria José Oliveira (professora), Eduarda Gomes (aluna) e André Ferreira (aluno) estiveram nos estúdios da Sintonia Feirense

A turma do 2º ano de Animação Sociocultural da Escola Secundária Coelho e Castro foi convidada a participar na 20ª edição do Imaginarius, respondendo ao desafio de recriar a lenda quinhentista ‘Zelina e Mulley’, lançado pelo Museu Convento dos Lóios. Aliou-se ao marionetista de Paços de Brandão, Rui Sousa, e concebeu um espetáculo de “excelência” que será divulgado na segunda fase do Festival Internacional de Teatro de Rua, em setembro.

Quatro alunos e dois professores da turma do 2º ano do curso de Animação Sociocultural da Escola Secundária Coelho e Castro, em Fiães, bem como o marionetista de Paços de Brandão, Rui Sousa, estiveram nos estúdios da Sintonia Feirense esta quarta-feira a falar sobre alguns projetos que tem desenvolvido.

Um deles está diretamente ligado ao Imaginarius e será apresentado na segunda fase deste festival, em setembro. O desafio surgiu, conta a professora Maria José Oliveira, através do Museu dos Lóios, que convidou a turma a recriar a lenda quinhentista ‘Zelina e Mulley’ de uma forma diferente e “fora da caixa”. Os alunos pensaram em marionetas e, nesse contexto, surgiu o nome do marionetista de Paços de Brandão, Rui Sousa, que prontamente abraçou o projeto.

Construíram as marionetas de raiz, estudaram e aprofundaram o guião, distribuíram tarefas, ensaiaram “muito”, descreve o marionetista Rui Sousa, e mostram-se “extremamente orgulhosos” pelo trabalho realizado.

Esta oficina é apenas um exemplo dos vários projetos que esta turma tem abraçado no seio da comunidade escolar. No arranque da entrevista, os professores Maria José Oliveira e Filipe Dias destacaram a relevância dos cursos profissionais e “a coragem” dos alunos de enveredarem por este tipo de ensino, que “tem a mais-valia de ter um estágio integrado, que lhes permite estar em contexto de trabalho em diferentes instituições”.

Ainda existe um estigma em relação ao ensino profissional, mas a professora acredita que o trabalho realizado na Escola Secundária Coelho e Castro tem demonstrado aos alunos e encarregados de educação as potencialidades deste modelo de ensino.

Nos estúdios da Sintonia Feirense, os alunos partilharam as experiências que têm colecionado neste curso e houve ainda tempo para falar sobre a estadia de um mês em Barcelona, Espanha, no âmbito do projeto Erasmus+. A partida está agendada para 10 de junho e alguns dos alunos desta turma vão ter a oportunidade de, durante um mês, conhecer a realidade de outro país.

Pode ouvir a entrevista na íntegra no podcast disponibilizado pela Sintonia Feirense.